Itararé

De J.R.Calazans (Jararaca), lançada em 1930

Quando vim de minha terra vim brigado com a mulher
Em vez de vim a cavalo eu vim mesmo de a pé
Sou filho do Rio Grande da cidade de Bagé
Fiz uma marcha forçada e vim pará em Itararé

Itararé, Itararé, tava tudo em pé no fogo
Churrasco mate café

Espingarda carabina revólver laço e quicé
Metralhadora e facão, adaga, espada e combréa
Arioplano e granada carro forte chevrolet
Cavalaria e trincheira tudo tinha em Itararé

Itararé, Itararé, tava tudo em pé no fogo
Churrasco mate café

Tudo ali se reunia Generá e Coroné
Cabo, Sargento e Sordado véio, criança e muié
A gente andava deitado e dormia mesmo em pé
Tinha cobra na picada mas chegamo em Itararé

Itararé, Itararé, tava tudo em pé no fogo
Churrasco mate café

General Juarez Távora montado no corcé
Dominando todo o Norte provou o que o Norte é
De Sergipe ao Amazonas os chefe bateram pé
Quando ia pra Bahia nós ia pra Itararé

Itararé, Itararé, tava tudo em pé no fogo
Churrasco mate café

Viva todos nossos chefes homens de ação e fé
Que nunca temeram a morte dizendo seu tom de ideia
Vamos tomá o cacete porque o jogo requer
Agora você me diga se é assim mesmo ou não é

Itararé, Itararé, tava tudo em pé no fogo
Churrasco mate café

5 comments

Marcus Carmo

MUITO OBRIGADO por essa interpretação e essa letra! Há anos que procuro essa letra completa.
Tentava definir a letra pelo que ouvi e li do site de Franklin Martins, mas mesmo lá há erros e falta de trechos.

Por favor, abusando da bondade, gostaria de saber onde vocês conseguiram a letra correta.

Muito obrigado, novamente, e muito sucesso!
Abraço!

    Zé do Bêlo

    Oi amigo, a letra fui eu mesmo quem completou, escutando a gravação original de Jararaca e seu conjunto (1930), e também tive ajuda prestimosa do violonista Marco Pereira, na parte do “Arioplano”, essa palavra era para mim impossível de entender, mas o Marco teve a sacada genial. Um abraço e obrigado pelo contato!

Leonardo Batista Paes

No trecho “Vamos tomá o cacete porque o jogo requer” o correto não seria, “porque o povo requer”?

Deixe uma resposta para Leonardo Batista Paes Cancelar resposta

  • *required fields